Já percebeu que a maioria dos produtos que adquirimos são descartáveis? O consumismo não consciente promove inúmeros problemas prejudiciais ao meio ambiente e, consequentemente, a saúde humana. 

O avanço tecnológico nos traz a impressão de que estamos sempre com ítens ultrapassados, induzindo a compra de produtos mais modernos, resultando no descarte do antigo. Esse fenômeno é chamado de obsolescência programada, que remete ao poder que a indústria tem de tornar os produtos programados para falhar.

A Economia Circular, que vamos lhe explicar neste artigo, é um conceito que foi criado para minimizar os impactos negativos do consumo nas próximas gerações.

Vamos iniciar pela economia linear que dita o processo de compra e descarte para os consumidores, no qual novos produtos são lançados. As pessoas realizam a aquisição e pouco tempo depois se deparam com um novo e exclusivo item da mesma marca, onde subconscientemente são induzidos a recompra e descarte do antigo. 

O que muitos não levam em consideração é sobre a limitação que nosso planeta detém diante dos recursos naturais, estamos pautando recursos que são finitos, trilhando o caminho da escassez. Praticamente toda a matéria nova produzida a partir da substância plástico é proveniente de recursos da natureza. 

Por isso, é válido recordar que a maioria dos descartes é remanejada para aterros sanitários, sendo que aproximadamente até o ano de 2050, poderemos estar produzindo 3,4 bilhões de toneladas de resíduos a cada ano.  

Em contrapartida, incontáveis organizações estão adotando o modelo de economia circular, focada no redesenho de nossos sistemas, processos e produtos para permitir que os bens sejam usados por mais tempo, sendo melhor reaproveitados ou reciclados com maior eficiência. 

Este modelo visa mostrar a realidade por trás da obsolescência programada, exibindo as reais funcionalidades e durabilidade de determinado item, propondo, muitas vezes, que, com a manutenção e uso de maneira correta, muitos produtos podem durar o dobro do tempo em relação a indicação do fabricante. Outro dado de suma importância está ligado ao uso de embalagens plásticas, onde mais de 95% do valor é desperdiçado todos os anos, totalizando um custo de mais de 650 bilhões de reais.

Devemos utilizar a lógica para compreender que a produção e o consumismo exacerbado podem resultar em catástrofes ambientes, pois os recursos naturais apenas diminuem, e o desperdício aumenta e se acumula. Existem 3 principais fatores que estão alavancando a mudança global para uma economia circular:

1 Fator econômico

As organizações devem realizar mudanças para práticas mais sustentáveis. O Compromisso Global da Nova Economia do Plástico foi assinado em 2018 por mais de 400 organizações para eliminar resíduos de plástico e poluição.

2 Fator regulatório

A fiscalização está cada mais rígida e eficiente, logo as empresas se atentam mais na prevenção de práticas desperdiçadoras. Além disso, alguns governos ofertam incentivos fiscais para as instituições que seguem ações sustentáveis, uma via de mão dupla.

3 Fator social

O consumidor também está mudando seus hábitos, buscam informações sobre a origem dos produtos e diretrizes da empresa. A sociedade está mais consciente.

Grandes corporações já estão imersas nas práticas sustentáveis da economia circular, empresas reconhecidas mundialmente que adotaram ferramentas e métodos visando um futuro próspero para as próximas gerações. Alguns exemplos são:

Philips: Light-as-a-service que fornece acesso à iluminação em vez de propriedade de lâmpadas;

Levi Strauss: reaproveitando roupas velhas em isolamento de edifícios, estofados e roupas novas;

Toshiba: primeira impressora multifuncional. O toner apagável sensível ao calor pode fazer até cinco reimpressões por página;

Renault: Trens, motores e caixas de câmbio de veículos antigos reformados para uma condição quase nova.

A nossa empresa é um parceira da sustentabilidade do Planeta, um dos 17 desafios Globais elencados pela ONU. Nós temos o papel de disseminar informações pertinentes sobre práticas sustentáveis que irão auxiliar o meio ambiente a se recompor diante de tantas devastações provocadas pelo ser humano. Além de todo o conteúdo relevante, te oferecemos a oportunidade e a possibilidade de adotar maneiras sustentáveis de gerenciar o ciclo de vida do resíduo. 

A decisão está em nossas mãos. Você deseja que seus filhos, netos e bisnetos desfrutem de um meio ambiente vistoso e repleto de vida? Comece hoje a mudança!

Fonte: https://www.visualcapitalist.com/the-circular-economy-redesigning-our-planets-future/

POSTS RELACIONADOS:

Relacionadas