Em março de 2020, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental publicou um manual com recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia pelo COVID-19. Nele, é dito que todos os indivíduos que trabalham com o manejo de resíduos de serviço de saúde estão expostos ao risco de contaminação e devem seguir os protocolos de higiene impostos pela ANVISA. Além disso, debateu-se que o serviço de coleta em geral é extremamente importante e que precisa ser melhorado e intensificado. 

Você pode acessá-lo clicando neste link: http://abes-dn.org.br/wp-content/uploads/2020/03/RECOMENDA%C3%87%C3%95ES-PARA-A-GEST%C3%83O-DE-RES%C3%8DDUOS-EM-SITUA%C3%87%C3%83O-DE-PANDEMIA-POR-CORONAV%C3%8DRUS-COVID-19-4.pdf.

Os resíduos (aqui inclui-se luvas e máscaras) de pacientes suspeitos ou confirmados com o novo coronavírus, que entram na classificação de resíduos do grupo A e subgrupo A1, devem ser colocados em sacos duplos da cor vermelha, com lacre um duplo nó e com o símbolo de substância infectante. Para aqueles pacientes que não estão internados em hospitais e foram submetidos ao isolamento em domicílio por serem casos suspeitos ou confirmados, o lixo deve ser separado pela outra pessoa a quem se convive junto ou ser arrumado com luvas, colocado em sacos resistentes  e descartáveis com lacre ou nó. Quando o saco estiver a dois terços de sua capacidade, deve ser colocado dentro de outro para que os resíduos permanecem em saco duplos e identificados destinados a resíduos urbanos. 

Baixe o nosso E-book e saiba quais são os acondicionamentos e as cores para a correta separação dos Resíduos de Serviço de Saúde: https://conteudo.meuresiduo.com/lp-ebook-cor-e-acondicionamento-de-residuo-hospitalar.

A coleta deve ser feita pelos coletores que já são trinados para lidar com esse tipo de situação e com os equipamentos de segurança necessários, como máscaras PFF2, luvas, botas e óculos desinfectados e devidamente higienizados. Isso tudo pode parecer exagero para quem não enxerga que os coletores podem se contaminar facilmente com o desleixo de outros, por isso, as recomendações são justamente para não causar infecções para o catador e nem prejuízos para o meio ambiente. Além disso, é crucial que todos os trabalhadores tenham acesso a água e sabão e álcool em gel sempre que possível para higienização das mãos. Para a limpeza do veículo de transporte, aconselha-se Hipoclorito de Sódio 2%.

Relacionadas