O avanço tecnológico, a velocidade da informação e o crescimento urbano, atrelado a hábitos insustentáveis de consumo estão em dicotomia com o fluxo que a natureza tem.

O meio ambiente apresenta, cotidianamente, sinais visíveis de colapso, apontando que já chegou ao seu limite. Com isso, a partir de observações sobre a natureza, surge o conceito de biomimética, que tem por objetivo desenvolver funcionalidades úteis aos humanos, de forma consciente, sem gerar agressões ao meio ambiente.

Mas, afinal, o que é Biomimética?

A Biomimética foi citada pela primeira vez em 1997, no livro escrito por Janine Benyus. A estudiosa contou a história de inúmeras inovações em engenharia, computação e saúde, idealizadas a partir da observação da natureza. A área da biomimética estuda os princípios criativos e estratégias da natureza, galgando soluções para os problemas atuais da humanidade, realizando a junção entre funcionalidade, estética e sustentabilidade.

A diretriz primordial é utilizar a natureza como fonte de inspiração, não se apropriar deste bem, consultando o meio ambiente para enfatizar a ideia de sustentabilidade e preservação. Além disso, a biomimética não deve ser vista apenas como uma nova forma de visão e valorização da natureza, mas também como um novo método de cuidar e preservar o que ela irá oferecer para as futuras gerações. Saiba mais clicando aqui.

Como a Biomimética está inserida na meuResíduo?

Podemos resumir em uma frase: inovar de forma eficiente para preservação do nosso planeta! A meuResíduo anda paralelamente com a biomimética, pois a partir de um grande problema que seria o controle eficiência na gestão de resíduos, buscou sua maior inspiração, a natureza, resultando em inúmeras soluções sustentáveis para a resolução de uma enorme barreira que impedia o gerenciamento consciente de resíduos e a transparência de destinação deles. Utilizando a biomimética como ferramenta de inovação, foi possível desenvolver métodos e ferramentas que suprem o real problema, o que resultará na geração de um futuro consciente.

Nossa inspiração acontece assim, ou seja modelamos nossas ferramentas através da engenharia, TI, biologia, design e business, integrando, nossas inquietações em desenvolvimento sustentável. Você pode ver diversas interações dessa prática neste link.

POSTS RELACIONADOS:

Relacionadas