5 dicas para valoração de resíduos nas empresas

03 de Outubro de 2019

5 dicas para valoração de resíduos nas empresas

Estima-se que são desperdiçados cerca de R$120 bilhões em resíduos sólidos que não são reciclados no Brasil e que vão parar nos aterros e lixões, com constante aumento na geração de resíduos domésticos e resíduos produzidos pelas empresas a cada ano¹.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) tem diretrizes para os resíduos gerados pelas empresas e prevê que grandes empreendedores devem escolher entre a redução, reuso ou reciclagem de seus resíduos, no sentido de que as empresas devem reconhecer o valor econômico dos resíduos gerados.

Além da questão financeira, a disposição em aterros sanitários apresenta riscos para o meio ambiente e saúde humana, além de aparecer como a última prioridade na destinação, conforme descrito na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Sendo assim, veremos 5 formas diferentes que podem ajudar a valorizar os resíduos na sua empresa e diminuir seus custos.


Reutilização

A reutilização consiste na reinserção do resíduo que seria descartado, trazendo-o de volta ao seu processo produtivo. O resíduo não passa por modificações industriais e seu objetivo visa prolongar a vida útil do produto no mercado.

O exemplo mais comum de reutilização nas empresas é a devolução de garrafas de vidro de cerveja e refrigerantes após o uso. O processo, além de evitar o custo de destinação, reduz a exploração de recursos naturais, possuindo vantagens ambientais e econômicas para as empresas e consumidor.


Reciclagem

Consiste, basicamente, da reintrodução dos resíduos no processo de produção. Ao contrário da reutilização, quando um resíduo é reciclado ele passa por transformações físicas, físico-químicas ou biológicas que o transformam em novos produtos ou em insumos para fabricar um novo produto.

Além disso, a reciclagem contribui para a redução do consumo de matérias-primas virgens, energia, poluição do solo e atmosfera e da redução da emissão de gases de efeito estufa. Como consequência, se torna um processo sustentável e econômico para as empresas.

No entanto, é uma prática que precisa ser difundida, especialmente pela economia da energia gasta nos processos de produção e pela diminuição na utilização de matéria-prima virgem. Entretanto, para ser viabilizada em maior escala, se faz necessária a adoção de políticas voltadas à regulamentação e incentivos ao setor.


Compostagem

A compostagem consiste na degradação dos resíduos através de microorganismos. Com esse processo, realiza-se a decomposição de materiais orgânicos, como bagaços, cascas de frutas e legumes, resultando em um material rico, denominado composto. Este processo também se enquadra como reciclagem, pois o composto pode ser usado em agricultura ou jardins e hortas.

Dentre os benefícios que a compostagem proporciona estão:

  • Produção de adubo orgânico, fazendo com que a matéria orgânica volte a ser utilizada de forma útil e reduzindo custos;
  • Redução dos gastos no transporte dos resíduos;
  • Menos emissão de gases poluentes;
  • Estimulação da coleta seletiva, uma vez que necessitam serem separados dos outros resíduos.


Compra e venda de resíduos

A comercialização surge como uma alternativa interessante, pois os resíduos de uma empresa, muitas vezes, são matérias-primas para as outras, podendo virar fonte de receita e promover a economia circular, trazendo benefícios econômicos e ambientais a toda a cadeia.

Esse fato se dá, pois, a empresa geradora destina o resíduo em conformidade com a lei, reduz seus custos – uma vez que vende o resíduo, elimina o gasto do transporte e destinação final – e ainda implementa o valor agregado de sustentabilidade ao negócio. Além disso, a empresa compradora adquire matéria-prima mais barata e o meio ambiente sai beneficiado, sem necessidade da exploração de novos recursos.

Assim, ao contemplar ações para a gestão de resíduos com metodologias e processos bem definidos, seu estabelecimento poderá atingir maiores níveis de valoração e reaproveitamento dos mesmos.

Já existem softwares especializados na gestão de resíduos, como o meuResíduo, que centraliza toda a movimentação do ciclo de vida do resíduo e gera indicadores e relatórios gerenciais para órgãos ambientais. Além disso, sua empresa pode controlar e estabelecer metas através da plataforma, que dará em tempo real, a situação da gestão de resíduos na sua empresa para auxiliá-lo na tomada de decisões e definição de novas estratégias.


REFERÊNCIA¹ - https://bit.ly/2AEfouT


FAÇA UM TESTE GRÁTIS DO SOFTWARE AGORA: https://bit.ly/2lkCthZ